notícias

próximo presidente governará uma “massa falida”

próximo presidente governará uma “massa falida”

30

novembro

O jornalista Ricardo Kotscho classificou nesta quinta-feira, 9, como "supremo escárnio" o reajuste de 16% dos salários dos ministros do Supremo Tribunal Federal (STF). 
Kotscho lembra que só o STF prevê para 2019 um gasto de R$ 741 milhões com os 11 ministros, funcionários e mordomias, o que dá algo como R$ 70 milhões/ano por ministro. "Como o salário dos supremos é o teto do funcionalismo público, que serve de base para os demais, só o Judiciário vai gastar outros R$ 717,2 milhões por ano, arrombando ainda mais os cofres públicos", diz ele. 
"Pergunto: o presidente Michel Temer, investigado num balaio de denúncias de corrupção no STF, vai ter coragem de vetar esse aumento, sabendo que em janeiro perde o foro privilegiado e pode cair nas mãos de qualquer juiz de primeira instância? Qual é o deputado ou senador, entre as centenas com pendências na Justiça, que vai vetar um aumento para os juízes que poderão, eventualmente, mandá-los para a cadeia?", questiona. 
"Pobre do próximo presidente a ser eleito no dia 7 de outubro, que não vai herdar um país, mas uma massa falida. Que Brasil sobrará no dia da posse, a 1º de janeiro de 2019?, poderá agora perguntar a enquete da Globo. Eles não vão deixar pedra sobre pedra depois da divisão do butim do golpe, 'com Supremo, com tudo'", disse o jornalista.