notícias

Onyx: redução do IR vai ser possível após equilíbrio fiscal

Onyx: redução do IR vai ser possível após equilíbrio fiscal

05

janeiro

Ministro também disse que em duas semanas a equipe de governo vai apresentar ao presidente “caminhos” possíveis para a reforma da Previdência


O governo federal estuda a possibilidade de redução do Imposto de Renda (IR), mas não há prazo para o anúncio da medida. Segundo o ministro-chefe da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, a redução do IR vai ser precedida de um equilíbrio fiscal no Brasil. “Depois de feito o equilíbrio fiscal no Brasil, vamos trabalhar [para reduzir o IR]. Só não sei prever quando, e cabe ao professor Paulo Guedes fazer essas definições”, disse o ministro, na tarde de hoje, no Palácio do Planalto. Onyx acrescentou que algo precisa ser feito para dar um “tratamento mais equilibrado”, uma vez que a chamada “pejotização” (prática do empregador em contratar um funcionário como pessoa jurídica) leva muitos trabalhadores a pagarem alíquotas de Imposto de Renda menores em comparação com aqueles que recebem como pessoa física. “Quantas atividades não fogem para a pejotização, que é transformar uma pessoa física em uma pessoa jurídica? A pessoa jurídica paga 15%, e uma pessoa física com um salário significativo paga 27,5%”, disse. “Trabalhamos com o conceito de dar um tratamento mais equilibrado para a sociedade brasileira.” Reforma da Previdência
O ministro também disse que em duas semanas a equipe de governo vai apresentar ao presidente “caminhos” possíveis para a reforma da Previdência. Onyx reforçou a intenção de se fazer uma mudança da idade mínima “lenta e gradual”. “Vai ser feita uma transição lenta e gradual preservando o direito das pessoas, tendo um olhar humano para a reforma, fazendo as coisas gradualmente”. Integrantes do governo e Bolsonaro já deram declarações no sentido de aproveitar o texto criado pela equipe do governo anterior, mas a equipe econômica está formatando a reforma a ser levada adiante. O presidente manifestou a intenção de mudar a idade mínima para 57 anos, no caso de mulheres, e 62 anos, no caso de homens, com aumento gradativo, mas a proposta não está fechada. Com informações Dpto de Jornalismo - GUARITA AM Fonte:  Portal Agência Brasil